Back to Top

09 agosto 2017

Quem me enviou este papo de cona?

Ontem não publiquei nada neste vosso blog por uma boa razão. Estava já de pau feito, a pensar no que vos ia contar, quando apareceu, vindo sabe-se lá de onde, este papo de cona.


Já não via papo de cona assim havia um bom par de dias. Aliás, nem papo assim nem papo assado, porque passei 48 horas sem papar ninguém. Não porque estou a fazer dieta, mas porque tenho andado de papo cheio. A Madalena, que já vestiu uma camisa do pai e um sutiã da mãe só para me provocar, deixou-me, mais uma vez, com a picha feita num 8. Mas isso é outra história...

Era um mar de gente naquele pomar, naquele dia. Só reparei na Raquel no final da tarde, quando a moça veio pedir-me um instrumento. Calma, não andava à procura de caralho fácil. Queria uma tesoura de poda, não uma vara para a foda. Claro que os meus olhos fixaram-se naquele papo de cona e, durante alguns segundos, curtos segundos, cheguei a ter sentimentos pela gaja. Não, não foi amor, que o amor não é para aqui chamado. Foi tesão tal que fiquei preocupado com o feliz destino daquele papo de cona. Não quero ser mais papista do que o Papa, mas aquele papo de cona não foi fruto do acaso. Foi destino. Foi-me enviado pelo criador de todos os papos de cona.

4 comentários:

  1. Fico à espera! O Meu gajo diz que o meu papo é bem mais visível, fora da roupa.

    Beijoos

    ResponderEliminar
  2. um papo de fora não se comenta, papa-se! bjs anjinha

    ResponderEliminar
  3. a minha mulher? não sei se passou 48 horas sem pinar. o que eu sei é que passou 48 horas sem pinar comigo

    ResponderEliminar