digo cada disparate...


Só quero ter a cona ocupada
Teoria da evolução da mulher
Sexo é como um jogo de sueca
Pinar só é indecente se for bem feito
Achas que o amor acabou?
O tédio leva-te a fazer coisas estranhas
Fode-as todas e és um deus
Um aviso na cona
A cara laroca que me deixou com cara de pau
Não há cucaguente!
Qual é a dose de foda certa?
O sabor da porra
Um exemplo de autocomiseração
Por favor, ignorem-me!
Só se sorrires quando te apertar o pescoço
A tia que se queixava de tudo e mais um par de tomates
A intelectual de esquerda que vive na margem direita
Como se senta uma senhora?
Amas-me? Eu amo picha
Não fornicarás
Vamos jogar um jogo...
Hoje vamos ser fofinhos
Só para as estatísticas
Um 69 em forma de peixe
Duas passarinhas a voar
Chamei-te puta? Não era nada disso...
Um ser humano ridículo
O que é preciso fazer antes de o meter?
Amor que mata
Burros, traseiros e mamas de outro mundo
Caminho de Santiago
Uma coça é uma festa sem motivo
A força da razão
Os mimos fornicam?
Peixe acha
Uma ménage com a pessoa errada
Não morras. Fode-me!
Porra, a bebida energética
A vida é curta
Abençoado Baco
O herói das gajas boas
A minha praia fica em entrefolhos
Gajo que é gajo chora
O tautau
À procura do caralho perdido
Pinocada porno
A cona e o rebuçado
O fingidor
Um grande coração não se monta
Pobre diabo
Um blog confuso
O meu é maior
A humanidade está fodida
À procura de puta feia
Cona ou cérebro?
Pentelhos não são fetiche
Poder de encaixe
Amor virtual
Ping pong
Não vás ao engano
Braguilha aberta
Leitinho quente
Quem feio ama...
Comer no escuro
O tempo não passa, caralho!
Eu sou o pesadelo. E tu?
O amor mata

Sem comentários: