Cantigas do bandido #2

Já devem ter percebido: para mim, cada cona tem o seu encanto. Acredito que têm algo de especial e, por isso, quero conhecê-las a todas. O que provavelmente não sabem é que não resisto a uma tranca robusta e arrebitada. Assim como a peida da Milu...


Encontrei a criada sozinha,
Pedi-lhe as sobras do peru.
Fez-me festas no nabo e disse:
"Porque não me vem ao cu?"

Fiquei cagado de medo,
Estivesse ela de caganeira.
Toma lá esta pomada
E espalha-a no cu, ó sopeira!

Sacou do pinto e gritou:
"Ai que mata esta sua criada!"
Não tenhas medo moçoila,
É grande mas civilizada.

De volta ao papel de fiel empregada,
Perguntou "ainda quer peru?"
Ó doce e zelosa Milu,
Põe o peru no olho do cu.
partilha:

2 comentários: