Cantigas do bandido #6

Conheci-o na Lourinhã e, poucos minutos depois, o tipo começou a falar de conas. Dizia coisas, mas não percebia um caralho da coisa. Explicou-me que não comia cus porque tem nojo de entranhas e garantiu-me que não lambia ratas porque o cheiro lhe tira a tusa. Vê só o que andas a perder seu idiota...


Há quem diga que fede,
Que tem ligeiro sabor a paprika.
Afinal o que te impede
De papar tão gulosa crica?

Se enfiares a focinheira,
Entre as roliças coxas da patricinha,
Verás que aquela pachacha garganeira
Não é cona choca, é passarinha.

Repara agora no pingalim
Que se pavoneia na rata da moça.
É clítoris, não é coisa ruim,
É o grelo onde a moça se coça.

Repara bem, seu pacóvio da Lourinhã,
Que cona não é só berbigão.
Deixa-a derretida em nhanha,
Não é para ralar como se fosse Parmesão.
partilha:

2 comentários: