a barriguda de fafe


Revi um foda antiga e, como da primeira vez, diverti-me imenso com o sotaque da moça. Não foi apenas com a pronúncia, como imaginam... Entretive-me também com o grelo e com o olho do cu, mas distraí-me especialméinte com a forma deliciosa como ela diz coisas à géinte. Assim mesmo: com acento agudo no "é" e um "i" imediatamente a seguir, porque os advérbios precisam deste tom estridéinte como cana rachada e um sabor adstringéinte como diospiro.

Na verdade, as palavras parecem vir da cavidade nasal. Já as mamadas são feitas com a cavidade bucal e as trancadas com a cavidade vaginal.


Dizem que em Fafe ninguém fanfe, mas posso garantir-vos que se fode como gente grande. Foi aliás gente grande que eu fodi desta vez. A gaja está grávida de 8 meses e com uma fome que mete dó. Por isso, e também porque há muito tempo que não papava uma barriguda de cona inchada, afinfei nesta fafense até ela chorar como um bebé. Foi uma badalhoquice pegada, mas não consigo contar-vos mais porque manhã vou voltar a Fafe para trabalhar naquela rata barriguda.

[continua...]
partilha:

4 comentários:

  1. Estou bem perto...
    Belinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu sigo a máxima: de perto se vem ao longe

      Eliminar
    2. Eu gosto mais quando se vem perto de mim...

      Belinha

      Eliminar
    3. não seja por isso belinha. ando sempre por perto. e vir-me é o meu nome do meio

      Eliminar