quero que me batas


A freak revelou-se um pocinho de surpresas. Ela é muito mais do que a pentelheira farta e a pocinha de nhanha que se forma nas cuecas sempre que lhe enfio os dedos na cona. É muito mais do que malabarista de bolas de circo. Vai ficar para memória futura não só porque sabe como se agarrar às bolas que se situam junto ao escroto, mas também pelo que me escreveu ontem. Leiam com atenção:

"Quero que me batas. Quero que me curves, que me arranques a camisa e puxes as minhas calças até revelares o meu rabo pálido. Quero que faças das minhas nádegas a tua tela. Quero ouvir aquele barulho delicioso do contacto da tua mão com a minha pele. Quero sentir-te excitado com a minha respiração ofegante de quem está a apanhar. Vais reparar como inspiro e expiro para me acalmar sempre que recebo um golpe teu.

Vais ouvir um gemido de vez em quando. Vais perceber qual é o meu limite. Sei que vais controlar as tuas palmadas.


Quero que me leves para o sofá e me deites no teu colo. Quero sentir o teu caralho duro debaixo de mim, enquanto aprecias a tua obra prima cor-de-rosa. Quero que me batas de novo. Quero me batas outra e outra vez até eu ficar a tremer. Quero que me batas até ficares satisfeito. Quero que me batas até achares que apanhei o suficiente."
partilha:

2 comentários: