eros dixit #69


Nunca imaginei que uma mulher tão magra conseguisse esfregar pichas com tanto vigor. Fê-lo com tal zelo que parecia apaixonada pelo meu mastro. Agarrou-se ao coiso com fulgor, fez, durante uns segundos, uma triste tentativa de broche, que deve ter aprendido num patético filme pornográfico, abocanhou com devoção o colhão direito (o meu direito, que para ela era o esquerdo), mas depressa percebeu que seria mais eficaz se usasse ambas as mãos para usufruir da piroca em toda a sua plenitude. Percebia-se que não estava disposta a apanhar na boca com leite morno e azedo, com um pequeno toque de mijo. Queria era ver-me esguichar com potência. A determinada altura, disse-lhe:

"Sempre desconfiei que a mulher tornou-se bípede para libertar as mãos e usá-las num caralho como deve ser. Aqui está a prova."

partilha:

Sem comentários: