curtas da semana #42


Um amigo de infância recordou-me que esta coisa de papar pito devasso já vem de longe. Disse ele que os meus pais davam-me dinheiro para o autocarro e a sandes de marmelada e eu gastava-o em camisinhas.

Ao fim do dia, ia a correr para casa, com a barriga e o saco vazios e o escroto gretado de tanto roçar os colhões na chicha das moças.


Este meu amigo não sabe, mas andei a comer-lhe a irmã. Estudava num colégio de freiras, achava que a cona pertencia a deus, mas, a partir do momento em que apanhou com a primeira tolada, tornou-se numa valente abocanhadora da minha verga.

Ele, que sempre foi um enconado, encontrou a cona certa para fazer inveja aos amigos. A mulher exala "fode-me" por todos os poros e mal lhe pus a vista em cima imaginei-me a comê-la à canzana sem sequer lhe tirar o vestido.
podes partilhar:

3 comentários:

  1. Muito bom este post.

    Arthur Claro
    http://www.seminudez.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. A melhor parte da foda... o enrabamento. Adoroo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu tenho um mote de foda: no natal rabanada, nos outros dias do ano enrabada

      Eliminar