esta freak não largava as bolas


Só agora percebi o encanto de uma freak com rastas pelos cotovelos e pêlo nas ventas a passear uma enxada: como não usa sutiã, que isso é coisa de burgês, os mamilos competem em vaidade com os gomos das macieiras, videiras e outras fruteiras. Encontrei-a, não por acaso, na vizinhança do campo onde ando a fazer uma plantação de castanheiros, lá para os lados de Fafe.

Como sabem, onde há uma hippie, há um cão, bolas de malabarismo, diabolos, monociclos, kits de limpeza de piercings e, neste caso, uma farta pentelheira. Não foi preciso muita conversa para convencê-la a levar-me ao celeiro onde guarda as suas memórias da cidade. Brincou com os artigos de circo, o cão brincou com as galinhas e eu brinquei com a rata peluda. O extraordinário é que a tipa conseguiu fazer malabarismo enquanto lhe lambia o grelo.

Quando finalmente deixou cair as bolas circenses, agarrou-se aos meus colhões. Não os largou até eu descarregar um mar de porra branca e pegajosa naquele corpinho cheio de paz e amor.


Nesse mesmo dia, senti uma estranha necessidade de tomar um banho de civilização: lanchei com uma CEO que gosta de enfiar pérolas na cona, jantei com uma vereadora que exige ser aviada à canzana e tomei um copo com uma pintora que se passa quando lhe enfio o pinto grosso no cu.
partilha:

2 comentários:

  1. O António é um sonhador. Vive, eroticamente, da sua própria imaginação.
    .
    * A lingerie da mulher aguça o desejo sexual do homem? *
    .
    Beijinhos carinhosos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. esta tinha uma fixação por bolas. já tu pareces ter uma fixação por sonhos

      Eliminar